Diario de Cuiabá

Domingo, 29 de Novembro de 2020, 11h:07

Cuiabá elege o 10º prefeito na pós-redemocratização

Da Redação

 

Cuiabá elege neste domingo, 29, o décimo prefeito da pós-democratização em 1985, que devolveu às capitais e aos municípios da zona de segurança nacional e faixa de fronteira o direito de eleger seus administradores. Nesse período, de 35 anos, quatro cuiabanos, dois paulistas, um mineiro e um goiano ocuparam o Palácio Alencastro, sendo que dois chegaram a cargo por renúncia dos titulares. Os candidatos Emanuel Pinheiro (MDB), que tenta a reeleição, e Abílio Júnior (Podemos) nasceram na cidade que querem comandar nos próximos quatro anos.

Em 1985 o cuiabano Dante de Oliveira (PMDB) se elegeu prefeito com o vice e correligionário coronel Estevão Torquato, porém, durante um ano a prefeitura foi administrada por Torquato, uma vez que Dante assumiu um ministério no governo do presidente Sarney e depois desse período retornou ao cargo. Torquato nasceu em Cuiabá.

O ex-governador Frederico Campos (PFL), também cuiabano, venceu a eleição em 1988 e administrou quatro anos. Frederico teve a primeira vice-prefeita do município, Bia Spinelli (PL).

Dante voltou à prefeitura em 1992, pelo PDT e renunciou ao cargo em março de 1994 para disputar e vencer a eleição ao governo em primeiro turno. Seu vice-prefeito tucano coronel José Meirelles, mineiro, concluiu o mandato exercendo o cargo com titularidade.

Pelo PSDB, em 1996 e 2000, o cuiabano Roberto França se elegeu prefeito, mas terminou sua administração filiado ao PPS.

Em 2004 e 2008 o paulista Wilson Santos se elegeu prefeito. No segundo mandato renunciou e foi substituído pelo vice, Chico Galindo (PTB), que se tornou prefeito.

Em 2012 o governador Mauro Mendes, goiano, se elegeu prefeito pelo PSB, concluiu o mandato e não disputou a reeleição. O vice-prefeito de Mauro, deputado estadual João Malheiros (PPS) se recusou a assumir o cargo para o qual foi eleito optando por continuar na Assembleia Legislativa.

Emanuel Pinheiro nasceu em Cuiabá se elegeu prefeito em 2016 pelo PMDB, agora rebatizado MDB. Emanuel disputa a reeleição com seu conterrâneo, o vereador Abílio Júnior (Podemos). Independentemente de quem vença o segundo turno, o município será administrado por um político cuiabano.


Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: diariodecuiaba.com.br