Domingo, 17 de novembro de 2019 Edição nº 15350 15/11/2019  











MÚSICA
Som Livre 50 anos: na trilha da reinvenção musical

A revolução digital mudou tudo para as gravadoras — e não seria diferente com a Som Livre. Fundada em 1969 pelo produtor musical João Araújo (1935-2013) como braço fonográfico da TV Globo, a companhia se especializou em trilhas sonoras de novelas e minisséries e teve o seu disco campeão de vendagens vindo do campo televisivo: o LP “Xou da Xuxa 3”, de 1988, com mais de 3,3 milhões de cópias comercializadas. Cerca de uma década atrás, em tempos de pirataria e da consolidação de novas formas de distribuição de música que não passavam mais pelo meio físico, a Som Livre teve que se reinventar. E o resultado é que ela chega a 2019 como a maior empresa produtora de conteúdo musical nacional do país, líder do consumo de música brasileira no streaming — razão suficiente para a festa que acontece hoje à noite para convidados no EXC Rio, no Jardim Botânico, na qual se comemoram os 50 anos dessa fábrica de música que deixou de ser simplesmente uma gravadora. Leia mais...
CINEMA
· Ford vs Ferrari: dois gigantes de Hollywood em cena

ARTE
· "Cuiabá 300 Cores" abre exposição na Casa Cuiabana com siriri e cururu

17:29 A Bolívia e seus dilemas - parte II
17:29 BOA DISSONANTE
17:28 Estado adia para 2020 decisão sobre VLT
17:27 Diferença entre direita e bolsonarismo
17:26 A saída da extrema pobreza


17:26 Reflexões da vida
17:25 Toffoli intima BC e obtém dados sigilosos de 600 mil pessoas
17:25
17:24 Brics ignoram crise na Venezuela e Bolívia
17:24 Zona de livre comércio com China pode prejudicar indústria
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°
TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018