NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 01 de Junho de 2020
POLÍCIA
Terça-feira, 17 de Março de 2020, 09h:35

VIOLÊNCIA EM ALTA

Em 15 dias de março, nove mulheres foram assassinadas em MT

Três mulheres foram mortas, no último fim de semana. Crimes aconteceram na Capital e Interior

TÉO GOMES
Da Reportagem
PJC
Os casos são investigados pela Polícia Judiciária Civil, por meio das delegacias especializadas, na Capital e no Interior

Três mulheres foram mortas, no último fim de semana, em Mato Grosso. No total, somente em março, são nove vítimas de feminicídio.

Maria Irene Rodrigues Feitosa de Moura, de 31 anos, foi a nona vítima dessa mortalidade contra mulheres.

Ela foi morta a facadas em Novo Mundo (785 km ao Norte de Cuiabá), no fim  de semana.

Autor do  crime, o marido dela, de 43 anos, fugiu para uma região de mata, mas foi preso pela Polícia Militar e confessou que matou por "perdeu a cabeça".

Maria Irene já havia denunciado várias vezes à Polícia - inclusive, à Delegacia da Mulher. Horas antes de morrer, ela havia registrado queixa-crime de que tinha sido agredida e ameaçada de morte pelo marido, cujo nome não foi divulgado.

Rosa, também conhecida como Rosinha, foi a 8ª mulher morta, somente nestes primeiros 15 dias de março.

Ela levou ao menos quatro tiros, um deles na cabeça, e morreu na hora, na porta de um bar, na cidade Alta Floresta (803 km ao Norte da Capital). O assassino fugiu, mas foi perseguido e preso em flagrante na entrada da cidade Carlinda.

O crime foi filmado. O assassino, que não teve seu nome divulgado, desceu de um carro, um Fiat Uno branco, e começou a atirar contra a mulher, que morreu na hora. Depois, ele fugiu pela rodovia.

Acionada, a Polícia Militar foi atrás e, na entrada da cidade de Carlinda, na mesma região, teve que atirar contra o pneu do carro do assassino para que ele parasse e fosse preso.

A Polícia Civil já está investigando o caso, mas ainda desconhece os motivos do crime. A arma do crime foi encontrada dentro do carro do assassino.

A sétima mulher assassinada foi Carmelita Maria Timóteo, de 32 anos.

O crime, segundo a PM, aconteceu por volta das 8h da manhã de domingo (15).

O assassino tem 19 anos e não teve seu nome divulgado.

Segundo as informações, ele até à casa da ex-namorada, na cidade de Pontes e Lacerda (448 km ao Oeste da Capital), e começou a bater na janela do quarto da casa da mulher, que estava dormindo, e pediu para ela abrir a porta.

Depois de muito insistir e dizer que queria conversar. Carmelita resolveu abrir a porta e os dois começaram a discutir.

Em seguida, ele sacou uma faca que carregava na cintura e começou dar golpes na mulher, que caiu em meio a uma poça de sangue. O matador fugiu, deixando a ex-namorada agonizando.

Uma amiga de Carmelita a encontrou agonizando. A testemunha acionou a Polícia Militar, mas, quando os policiais ,chegaram à mulher já estava morta.

Os policiais militares fizeram diligências pela cidade. Foram até a casa do acusado, mas ele já havia fugido, possivelmente para outra cidade. 

A Polícia Civil fez a liberação do corpo e segue investigando o caso. 

ESCALADA DAS MORTES – O DIÁRIO acompanha os casos de mulheres assassinadas em Cuiabá e no Interior de Mato Grosso.

Confira a lista de mulheres mortas a tiros e facadas, somente nos primeiros 15 dias deste mês de março.

Luzinete Maria Feitosa, de 57 anos. Ela foi encontrada morta no dia 1º de março, dentro da casa dela, no bairro Cohab Durval Tomas, em Nova Brasilândia (215 km ao Norte da Capital). Luzinete foi morta por enforcamento e com suspeita de que tenha sido estuprada porque foi encontrada nua.

Gabriely Auxiliadora Souza Silva, de 20 anos, foi a segunda vítima deste mês. Ela foi baleada no dia 3, na frente da casa da avó dela, no bairro Paiaguás, em Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá) e morreu cinco tias depois. Ela levou um dos tiros na cabeça.

Marlene Roque da Cruz, de 39 anos, foi a terceira vítima. Ela levou dois tiros na cabeça, dentro da casa dela, no Distrito Ouro Branco, na zona rural de Nova Canaã do Norte (699 km ao Norte).

Salvina dos Santos Vidal, de 74 anos, foi quarta vítima da violência contra as mulheres. Ela foi estrangulada e estuprada. O corpo dela foi encontrado, no dia 10, em um terreno baldio, em Lucas do Rio Verde (354 km ao Norte de Cuiabá). Ela era mãe de um cabo da Polícia Militar.

Renata Oscar de Castro, de 28 anos, foi a quinta mulher a ser assassinada. Ela foi morta no dia 11, dentro de uma bar, na cidade de Querência (945 a Nordeste da Capital).

Celina Deusa do Nascimento, de 33 anos, foi a sexta mulher vítima de feminicído. Ela era funcionária da Prefeitura da cidade de Alta Floresta, onde o caso aconteceu. Celina foi morta a facadas.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.





ENQUETE
Você acha que a Prefeitura acertou ao liberar a reabertura de shopings, bares e restaurantes?
É uma decisão acertada
O prefeito foi pressionado por empresários
Quem vai dizer são os consumidores
Tanto faz
PARCIAL