NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 18 de Setembro de 2020
POLÍCIA
Terça-feira, 11 de Agosto de 2020, 16h:30

TRAGÉDIA NO ALPHAVILLE

Laudo diz que tiro que matou Isabele não foi acidental

Documento entregue à DEA informa que disparo foi feito a curta distância, entre 20 a 30 centímetros da vítima

Da Redação
Reprodução
Isabele (destaque), que tinha 14 anos, foi morta pela colega, dentro do Condomínio Alphaville

O tiro que matou a estudante Isabele Guimarães Rosa, 14, no dia 12 de julho, não foi acidental e aconteceu a curta distância, entre 20 a 30 centímetros da vítima.

A conclusão está em laudos periciais de local de crime e de balística, entregues pela diretoria Metropolitana de Criminalística da Politec ao delegado Wagner Bassi, titular da Delegacia Especializada do Adolescente, nesta terça-feira (11).

De acordo com o laudo, o disparo que atingiu a adolescente ocorreu após "acionamento regular do gatilho" da pistola Imbel que estava em poder de sua amiga, da mesma idade.

E o tiro, segundo o documento, foi dado a curta distância. 

“O disparo foi executado mediante o acionamento regular do gatilho da pistola Imbel com o atirador na porção esquerda do banheiro. No ato do disparo, o agressor posicionou-se frontalmente em relação à vítima, sustentou a arma a uma altura de 1,44 m do piso com alinhamento horizontal e uma distância entre 20 e 30 centímetros da face da vítima”, diz trecho do laudo. 

A tragédia ocorreu no condomínio Alphaville, no bairro Jardim Itália, área nobre em Cuiabá. 

No laudo, anexado ao ao inquérito policial que investiga as circunstâncias da morte de Isabele, os periros esclarecem que “o motivo e a finalidade da ação não foram determinados” no exame. 

"Diante do exposto, o perito conclui que se trata de morte violenta causada pelo disparo de arma de fogo contra a região da face da vítima Isabele Guimarães Ramos por terceiro, que resultou o óbito da vítima”, diz outro trecho. 

Isabele Ramos foi morta com um tiro no rosto, por uma arma que estava com suar amiga, também de 14 anos. 

Em depoimento à Polícia, a menor que foi em busca da amiga no banheiro do seu quarto levando em mãos duas armas. 

Em determinado momento, as armas, que estavam em um case, caíram no chão.

“A declarante abaixou para pegar os objetos, tendo empunhado uma das armas com a mão direita e equilibrado a outra com a mão esquerda em cima do case que estava aberto", revelou a menor em depoimento. 

"Que em decorrência disso, sentiu um certo desequilíbrio ao segurar o case com uma mão, ainda contendo uma arma, e a outra arma na mão direita, gerando o reflexo de colocar uma arma sobre a outra, buscando estabilidade, já em pé. Neste momento houve o disparo", acrescentou.

O caso está sob a responsabilidade da Delegacia Especializada da Criança e do Adolescete (DEA).


1 COMENTÁRIO:







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.

Maria Eduarda Oliveira   11-08-2020 17:57:18
Esta história, triste história, fica cada vez mais horrível. Famílias estão sendo destruídas.

Responder

1
0



ENQUETE
MT terá eleições simultâneas para vereador, prefeito e senador? Você já escolheu seus candidatos?
Sim
Não
Vou anular os votos
Nenhum dos candidatos presta
PARCIAL