NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 10 de Agosto de 2020
POLÍCIA
Sexta-feira, 03 de Julho de 2020, 10h:16

GUERRA URBANA

Soldado PM mata dois bandidos em assalto com refém

Três assaltantes estavam uma lanchonete; um conseguiu fugir e os outros morreram na hora, no Norte de MT

TÉO GOMES
Da Reportagem
PMMT
Os crimes aconteceram na cidade de Porto Alegre do Norte; suspeita é de "acerto"

Três bandidos chegaram encapuzados e armados com revólveres e facão à Lanchonete da Torre, no Distrito de União do Norte, na zona rural, a cerca de 70 km da cidade de Peixoto de Azevedo (691 km ao Norte de Cuiabá), mas dois deles acabaram mortos por um soldado da Polícia Militar.

O assaltante identificado apenas com Leônidas levou um tiro na testa e o outro, identificado como Expedito, levou um tiro no rosto, disparados de uma escopeta calibre 12.

O assalto acontecia por volta das 19h40 de quinta-feira (2), quando um soldado da PM chegou ao local e surpreendeu os bandidos, mandando que todos abaixassem as armas.

Leônidas, segundo o major Vieira, da PM de Peixoto de Azevedo, se virou para atirar no policial, mas levou um tiro na testa e morreu na hora. Um assaltante saiu correndo.

O outro bandido conhecido como Expedito, que estava armado com um facão e fazendo o dono da lanchonete como refém, também partiu para cima do policial e levou um tiro no rosto e morreu na hora.

Segundo o dono da lanchonete, os bandidos chegaram ao local bastante violentos, agredindo o comerciante e os clientes com chutes e causando lesões corporais nas vítimas.

Os dois corpos foram liberados pela Polícia Civil, que está investigando o caso, depois da perícia preliminar de local de crimes de agentes da Perícia Oficial do Estado (Politec).


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL