NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 15 de Agosto de 2020
POLÍCIA
Terça-feira, 07 de Maio de 2019, 01h:50

VULNERABILIDADE

VG lança protocolo de atendimento a crianças vítimas de violência sexual

Várzea Grande passará a contar com uma iniciativa que visa normatizar as formas de atendimento das instituições que compõem o Sistema de Garantia de Direitos (SGD) da criança e do adolescente na cidade. Trata-se do “Protocolo e Fluxo de Atendimento a Crianças e Adolescentes Vítimas de Violência Sexual”, que será lançado nesta quarta-feira (08), com a participação da Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso de Várzea Grande.

Em 2018, 121 crianças e adolescentes, com idades entre 02 e 14 anos na época dos fatos, foram atendidas com suspeita de violência sexual. O protocolo foi desenvolvido pela Rede Protege. “É uma união de todas as instituições que atuam nos crimes sexuais, para definir um padrão de atendimento em Várzea Grande, que vamos adotar na delegacia para atendimento dessa vítima menor, desde o primeiro contato (confecção do boletim, encaminhados ao IML e Júlio Muller) até a finalização do inquérito policial”, explicou o delegado Cláudio Álvares Sant’ana, titular da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso.

Os atendimentos de crianças e adolescentes, vítimas de violência ou crimes sexuais, são realizados por equipes de psicólogos e assistentes sociais, que elaboram relatórios psicossociais que subsidiam a apuração do inquérito policial, conforme informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil.

Ainda, segundo a PC, a Rede Protege foi criada em abril de 2018 com uma proposta de ações coordenadas e estratégicas de intervenção e orientação intersetorial no fortalecimento da Rede de Proteção à Criança e Adolescente no município de Várzea Grande. O trabalho é realizado com a participação de todas as instituições que integram o Sistema de Garantia de Direitos (SGD) da criança e adolescente no município e se destaca como uma prática social intersetorial, bem como, instrumento de efetivação de políticas públicas.

Além de potencializar o conhecimento dos profissionais em relação à rede que fazem parte, às atribuições institucionais às situações de ameaça e violação de direitos, identificando lacunas e conflitos de competência no desenvolvimento do trabalho. O lançamento, ocorre a partir das 7h30, no Centro Universitário (Univag), que fica na região do Bairro Cristo Rei.

De acordo com a Delegada Regional de Várzea Grande, Ana Paula Farias, o setor de psicologia da Delegacia da Mulher, Criança e Idoso do município atendeu em 2018, 121 crianças e adolescentes, com idades entre 02 e 14 anos na época dos fatos, com suspeita de violência sexual. “A maioria das vítimas é do sexo feminino, sendo 87 meninas e 34 meninos atendidos”, ressaltou a delegada. Das 121 crianças e adolescentes atendidos pela delegacia, 90 crianças confirmaram o abuso sexual, em relatos à psicóloga da instituição.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O Brasil já ultrapassou as 100 mil mortes pela Covid-19. Para você, quem tem culpa?
O presidente Jair Bolsonaro
Os governadores
Os prefeitos
Ninguém. A doença é incontrolável
PARCIAL