NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 18 de Setembro de 2020
POLÍTICA
Segunda-feira, 10 de Agosto de 2020, 15h:50

SUCESSÃO NO ALENCASTRO

Cinco pré-candidatos a prefeito de Cuiabá já têm nomes confirmados

Gisela Simona, Ulysses Moraes, Felipe Wellaton, Abílio Jr. e Roberto França vão para a disputa

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem
Divulgação
Gisela, Moraes, Welatton, Abílio e França: cinco pré-candidatos ao Palácio Alencastro já definidos

A corrida pelo comando do Palácio Alencastro já conta com cinco pré-candidatos oficializados.

Trata-se dos vereadores Abílio Júnior (Podemos) e Felipe Wellaton (Cidadania), o deputado estadual Ulysses Moraes (PSL), a ex-superintendente do Procon Estadual, Gisela Simona (Pros) e o ex-prefeito Roberto França (Patriota). 

Os dois paramentares por Cuiabá tiveram o seus nomes referendados pelas suas legendas na semana passada, e seguem na articulação em busca da viabilização de suas candidaturas. 

Já o deputado estadual surge como "candidato independente".

"Hoje, Cuiabá não está com uma boa administração. A população não está satisfeita com o atual gestor, e acho que nomes bons devem surgir agora. Eu não descarto o meu nome, acredito que nosso partido tem condições, sim, de estar lançando uma candidatura independente. E o povo cuiabano anseia por mudança", disse Ulysses Moraes, parlamentar de primeiro mandato, eleito em 2018 pela Democracia Cristã (DC). 

Com a unificação na data das eleições municipais e para o Senado, Gisela Simona optou por recuar de sua candidatura a uma vaga no Senado  para disputar o comando da Prefeitura de Cuiabá. 

O anuncio foi feito no início do mês passado. Ela afirmou que na campanha pretende explorar o trabalho realizado à frente do Procon Estadual.   

“Fui a voz de muita gente na batalha pela Justiça. No Procon, foram milhares de casos resolvidos. Percebi que muitas mulheres e homens querem romper o silêncio, e não apenas falar e sim serem escutados”, disse. 

Já o ex-prefeito Roberto França deixou o comando do programa "Resumo do Dia", na TV Brasil Oeste, nesta segunda-feira (10), para poder disputar a eleição ao Palácio Alencastro em novembro.  

Com o seu afastamento da televisão, o apresentador irá focar nas articulações buscando apoio de outras agremiações para viabilizar o seu nome para a disputa. 

“Estou pronto. Deixo o  Resumo do Dia hoje e, a partir de agora, vou ver essa questão de apoio. Estamos no início das conversações”, disse. 

França aposta no seu legado na Capital, da qual foi prefeito por dois mandatos, e acredita que sua campanha será "enxuta", se comparada aos de seus possíveis adversários.

“Será a campanha do tostão contra o milhão. Mas tenho trabalho comprovado, experiência e amor a favor de Cuiabá”, completou. 

Com relação ao apoio de Jair Bolsonaro, ele acredita que o presidente da República irá permanecer distante, tendo em vista os muitos candidatos de sua base aliada em todo país. 

INDEFINIÇÃO – Outros dois partidos também pretendem lançar candidatura própria no pleito deste ano.

Trata-se do DEM e do PSDB. Ambos ainda não definiram os nomes que devem representar os partidos na disputa eleitoral. 

O DEM avalia os nomes do presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, e do suplente de senador Fábio Garcia.  

Já o ninho tucano possui três nomes colocados como pré-candidatos, e ainda pensa em permanecer na base aliada do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que pode buscar à reeleição em novembro deste ano. 

A briga está travada entra as executivas Estadual e Municipal da sigla. Desde o ano passado, os dirigentes regionais do partido defendem o nome do empresário Carlos Nigro, da Rede de Hotéis Mato Grosso, para a disputa. 

Os vereadores por Cuiabá, que fazem parte da direção municipal, por sua vez, ainda não abrem mão do apoio ao atual chefe do Executivo Municipal.

 Neste meio tempo, contudo, surgiram outros dois nomes: o empresário Dorileo Leal, do Grupo Gazeta de Comunicação, e do ex-vereador Paulo Borges.

Além disso, ainda está sendo estudada uma possível aliança com o DEM, que promete apoiar a candidatura do ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB) ao Senado. 

Apesar de tudo isso, o presidente do PSDB, deputado estadual Carlos Avallone, garante que a legenda deve lançar um candidato à Prefeitura de Cuiabá. 

“Nós estávamos trabalhando a pré-candidatura do Luiz Carlos Nigro e, alguns meses atrás, o nosso filiado Dorilêo Leal chamou a mim e ao deputado Wilson Santos, comunicando a pretensão de ser pré-candidato. Nós fizemos uma reunião e eles combinaram uma forma de trabalhar a pré-campanha. Agora, o nosso ex-presidente, Paulo Borges, também colocou o nome dele à disposição”, explicou.  

De acordo com ele, é bem provável que a definição quanto ao nome só saia durante convenção partidária, a ser realizada em 16 de setembro, de forma virtual. 

“A forma mais democrática dessa decisão é justamente a convenção, onde se coloca o nome dos três e aí tem a disputa, algo que a gente nunca assistiu dentro do PSDB. Sempre houve um consenso”,afirmou Avalone. 

Dos três nomes colocados, o que mais agrada aos integrantes da municipal é o de Paulo Borges.

Isto porque o ex-parlamentar mostrou respeito à Executiva Municipal, procurando, primeiramente, os seus membros para externar a sua vontade de encabeçar a disputa rumo ao Palácio Alencastro. 

Nesta semana, deve ocorrer uma reunião entre os membros das executivas estadual e municipal para tratarem do assunto, especialmente por conta da posição de Leitão. 

Na semana passada, a família Campos e o deputado estadual Dilmar Dal’Bosco (DEM) manifestaram apoio à candidatura de Nilson Leitã à vaga deixada pela juíza aposentada Selma Arruda (Podemos), que teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral, no final do ano passado. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
MT terá eleições simultâneas para vereador, prefeito e senador? Você já escolheu seus candidatos?
Sim
Não
Vou anular os votos
Nenhum dos candidatos presta
PARCIAL