NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Terça-feira, 27 de Outubro de 2020
POLÍTICA
Quinta-feira, 15 de Outubro de 2020, 17h:00

"GUERRA" NA TV

Corrupção, Saúde, ausência do prefeito e misoginia marcam 1º debate

Emanuel Pinheiro alegou "risco" sobre Covid; Abílio discute com Gisela e França fala de corrupção no Alencastro

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem
Divulgação
O primeiro debate, promovido pela TV Vila Real (Record), não contou com o prefeito Emanuel Pinheiro, candidato à reeleição

A ausência do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que disputa a reeleição, e a troca de farpas marcaram o primeiro debate entre os candidatos ao Palácio Alencastro, realizado nesta quinta-feira (15), pela TV Vila Real (Record).  

O emedebista foi alvo de crítica de seus adversários, mesmo não estando presente.

Em protesto, o candidato do Psol, Giberto Lopes, fez questão de tirar o seu paletó e colocar no lugar reservado ao prefeito. 

A intenção foi fazer uma alusão ao vídeo em que o emedebista aparece recebendo maços de dinheiro e colocando no bolso do paletó.

Em delação premiada, o ex-governador Silval Barbosa garantiu que o dinheiro era oriundo de propina. 

Além do episódio do paletó, os candidatos a prefeito de Cuiabá ainda relembraram o afastamento por supostos atos de corrupção  registrados durante a administração de Pinheiro. O fato culminou com o afastamento de quatro secretários municipais. 

“Não sei como o prefeito está gastando esse dinheiro da verba indenizatória. Espero que não seja de forma desonesta. Uma gestão que teve quatro secretários afastados pela Justiça... Eu espero que o homem público zele pelo dinheiro público”, disse o o ex-prefeito Roberto França (Patriota), ao responder o questionamento de Aécio Rodrigues (PSL). 

O ex-prefeito não parou por aí, e, ao responder o questionamento de outro candidato sobre Saúde Pública, lembrou o fechamento da Santa Casa.

"A atual administração acabou com a Saúde Pública de Cuiabá, fechou a Santa Casa. Esse foi presente do Emanuel Pinheiro para os 300 anos de Cuiabá”, disparou. 

Outro ponto alto do debate foi a discussão entre o vereador Abílio Junior (Podemos) e a ex-superintendente do Procon, Gisela Simone (Pros).

A troca de farpas entre os candidatos começou com a resposta de Abilio sobre as políticas públicas voltadas para a mulher. 

O parlamentar foi questionado por Gisela sobre as suas propostas.

Abílio respondeu afirmando que Gisela era “uma excelente participante, mesmo sendo mulher”.  

O vereador tentou remediar e completou dizendo que “ser mulher ou ser homem não deve ser critério para ocupar espaço público”.  

A resposta também não agradou ao ex-juiz federal Julier Sebastião (PT), que chegou a dizer que a fala do vereador “soou misógina”.

Diante disso, o petista o questionou novamente sobre suas propostas voltadas para as mulheres, e Abílio afirmou que Julier “pareceu Maria do Rosário” ao chamá-lo de misógino.

O vereador perguntou “onde estava o PT” quando a “Maria apanhou de um pastor na região do Jardim Leblon?”.  

Gisela se sentiu ofendida com a declaração de Abílio e chegou a pedir direito de resposta a produção do debate, que não atendeu o pedido, sob o argumento de que não houve ofensa. 

Com a recusa, Abílio disse que a sua adversária não tem propostas voltadas para mulheres, que copiou o Plano de Governo do candidato Roberto França, e que se apegou a uma falha de comunicação de sua parte para se fazer de vítima. 

Abílio também bateu boca com Julier Sebastião, ao responder o candidato petista um questionamento referente à Educação na Capital.

O vereador acusou o juiz Gisela de se unirem para atacá-lo. 

“A esquerda está alinhada para fazer um enfrentamento a um candidato que seja de direita. O senhor, que defende uma candidatura de mulhe,r deveria sair e deixar uma mulher se postular. Sobre a Educação, ela tem melhorado muito no Governo Bolsonaro”, completou Abílio. 

Diante das acusações de Abílio, o candidato petista voltou a se embasar na fala do parlamentar referente a Gisela.

“Ele continua desrespeitando as mulheres. Aqui ninguém nasceu de um ovo, vamos respeitar as mulher e peça desculpas”, disse. 

No que tange à corrupção, Julier lembrou de sua atuação como juiz federal.

“Tem gente que diz que combate à corrupção, mas faz isso há quatro anos apenas. Para quem não se lembra, ajudei a desmantelar o crime organizado enquanto juiz federal”, afirmou.

Abílio não deixou barato e citou o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva,

“Temos um juiz aqui que faz live para lançar candidatura junto com ex-candidato alvo de denúncia de corrupção. Ele é de um partido que a ex-presidente foi afastada por pedaladas fiscais e o outro preso por corrupção”, disse. 

Nos três primeiros blocos, os candidatos puderam fazer perguntas de temas livres entre si.

A troca de farpas e alfinetadas foram notadas em quase todas as perguntas feitas. 

Entre os temas debatidos pelos postulantes a prefeito, estiveram transporte público, saúde pública e a participação das mulheres na gestão, além de emprego e renda. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
MT terá eleições simultâneas para vereador, prefeito e senador? Você já escolheu seus candidatos?
Sim
Não
Vou anular os votos
Nenhum dos candidatos presta
PARCIAL