NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 25 de Novembro de 2020
POLÍTICA
Segunda-feira, 16 de Novembro de 2020, 17h:40

ELEIÇÕES 2020 - INTERIOR

Em Mato Grosso, DEM ganha 24 prefeituras e o MDB, 22

Ainda falta a Prefeitura de Cuiabá, que pode ficar com o MDB de Emanuel ou o Podemos de Abílio

EDUARDO GOMES
Da Reportagem
MidiaNews
O governador Mauro Mendes, que sai fortalecido das eleições com aliados do DEM

Mesmo faltando a definição do prefeito de Cuiabá, que acontecerá no segundo turno, dia 29 deste mês, em 140 municípios as urnas reconfiguraram o mapa do poder político municipal em Mato Grosso.

O Democratas (DEM) do governador Mauro Mendes, do senador Jayme Campos e do presidente da Assemblei,a Eduardo Botelho, administrará 24 prefeituras, seguido pelo MDB, com 22, PSB (13), PSDB (11), PSD (10), PP (nove), PDT, PL e SD (oito cada) e Podemos e Republicanos (cinco cada).

O PT, que governou o Brasil com Lula e Dilma, elegeu somente o prefeito de Castanheira (Noroeste de MT), Jackson de Oliveira Rios Júnior, o Juninho.

Nas eleições deste ano, entrou em vigor a proibição da coligação para vereador, mas se permitiu alianças para a disputa de prefeitura.

A composição de forças pode mascarar a realidade do poder municipal.

Em alguns municípios, caciques de partidos diferentes participavam da mesma carreata, mas na cidade vizinha essa união, às vezes, não se repetia e cada um procurava seu grupo.

Portanto, a eleição de Zé do Pátio (SD), em Rondonópolis (Sul de MT), também é uma vitória do PSD, que é o partido do vice-prefeito Aylon Arruda; e em Sorriso (Norte), o tucano Ari Lafin se reelegeu com o vice Professor Gérson (MDB).

A composição das forças na disputa municipal criou situações constrangedoras para candidatos ao Senado e seus suplentes.

Em alguns municípios, o candidato a senador apoiava uma chapa, e um de seus suplentes, outra, e outro suplente, outra ainda.

Os democratas se dividem em correntes internas. Há grupos ligados a Mauro Mendes, Jayme Campos e Botelho.

Mas eles deixaram de lado o fatiamento partidário e, em bloco, apoiaram seus candidatos a prefeito.

Na tríplice divisa, venceram em Alto Taquari, com a ex-vereadora Marilda Sperandio, que é mulher do ex-prefeito em três mandatos, Lairton Sperandio, que se encontra inelegível.

No Nortão, foram vitoriosos com Celso Padovani, em Marcelândia, e a reeleição de Carmen Martinês, em Carlinda, com 90,16% dos votos, e de Carlos Sirena, em Juara, com 88,2%.

Dentre as principais cidades, o MDB venceu em Várzea Grande, com Kalil Baracat; em Primavera do Leste, com Léo Bortolin; e em Água Boa, com Dr. Mariano.

Os emedebistas, dentre outras, também conquistaram as prefeituras de Nova Horizonte do Norte, com Silvano Neves; Diamantino, com Dr. Manoel; e Gaúcha do Norte, com Volney Goiano.

Em Vila Bela da Santíssima Trindade (Oeste), primeira capital mato-grossense, o médico, vice-prefeito reeleito e ex-prefeito Jacob André Brinksken se elegeu prefeito.

O deputado federal Carlos Bezerra lidera do MDB, que, na Assembleia Legislativa, tem os deputados Romoaldo Júnior, Thiago Silva e Janaína Riva.

Eliene Liberato, do PSB, se elegeu em Cáceres. Pela mesma sigla, Andreia Wagner, em Jaciara. Andreia é mulher do deputado estadual Max Russi, presidente regional do PSB. Em Alto Araguaia, o prefeito Gustavo Melo se reelegeu.

Os tucanos liderados pelos deputados estaduais Carlos Avallone e Wilson Santos conquistaram Tangará da Serra, com Wander Masson, e Alta Floresta, com Chico Gamba, e reelegeram Ari Lafin, em Sorriso.

Porém, o PSDB amarga a derrota de um de seus principais nomes, Thelma de Oliveira, que não se reelegeu prefeita em Chapada dos Guimarães. Thelma é viúva de Dante de Oliveira.

O Solidariedade reelegeu Zé do Pátio em Rondonópolis. Nos médios e pequenos municípios, dentre outros, reelegeu Luzia Brandão, em Ribeirão Cascalheira; e Janailza Taveira, em São Félix do Araguaia.

Na faixa de fronteira, em chapa única, o SD elegeu o Professor Mauto, em Salto do Céu. O deputado federal Dr. Leonardo lidera o PSB em Mato Grosso.

Em Barra do Garças, Adilson Gonçalves (PSD) venceu a disputa. Adilson é liderado pelo senador Carlos Fávaro, que preside o PSD em Mato Grosso e tem na Assembleia o deputado Nininho.

A principal prefeitura do Republicanos é a de Pontes e Lacerda, onde Alcindo Barcelos se reelegeu. O líder do partido é o deputado estadual Walmir Moretto.

Os liberais conquistaram oito prefeituras pequenas. Em Itanhangá, em chapa única, Edu Pascoski se reelegeu ao cargo de prefeito.

O líder do PL é o senador Wellington Fagundes, e o partido não tem deputado federal nem ocupa cadeira na Assembleia.

Com apoio do vice-governador Otaviano Pivetta, Miguel Vaz (Cidadania) derrotou Luiz Binotti (PSD), em Lucas do Rio Verde.

Em Comodoro, na fronteira com a Bolívia e divisa com Rondônia, o cartorário Rogério Vilela (Podemos) se elegeu prefeito. O líder do Podemos é o deputado federal José Medeiros.

Leandro Félix (PSL) administrará Nova Mutum. O maior líder do PSL é o deputado federal Nelson Barbudo, que foi campeão de votos ao cargo em Mato Grosso, em 2018.

O partido tem três deputados estaduais: Sílvio Fávero, Delegado Claudinei e Ulysses Moraes.

Alexandre Lopes (PDT) foi vencedor em Campo Verde, e Divino Henrique, em Barra do Bugres.

Os pedetistas são liderados pelo presidente regional e deputado estadual Allan Kardec.

Uma das lideranças emergentes do partido, o prefeito de Diamantino, Eduardo Capistrano, não se reelegeu. Capistrano foi presidente o Diretório Regional do PDT.

Os petistas perderam a Prefeitura de Juína. Altir Peruzzo não se reelegeu.

Porém, em Castanheira, município vizinho a Juína, Juninho se elegeu prefeito em chapa única, com apoio da prefeita Mabel Almici, que cumpre o segundo mandato consecutivo.

Castanheira será o único município administrado pelo PT em Mato Grosso.

A deputada federal Rosa Neide e os deputados estaduais Lúdio Cabral e Valdir Barranco lideram o partido no Estado.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Você acha que o Cuiabá Esporte Clube tem chance de acesso à Série A do Brasileirão?
Sim
Não
Ainda falta estrutura
Precisa investir no elenco
PARCIAL