NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Domingo, 17 de Janeiro de 2021
POLÍTICA
Terça-feira, 12 de Janeiro de 2021, 11h:21

"FIZERAM MÉDIA COM O GOVERNADOR"

Emanuel reafirma que foi traído, mas não pretende deixar o MDB

Prefeito isenta o deputado Carlos Bezerra e insiste em manter o controle do partido em Cuiabá

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem
Divulgação
A briga de Janaína pelo comando do MDB em Cuiabá é um dos motivos da revolta de Emanuel

Ao que parece, a crise interna no MDB de Mato Grosso está longe de ter um desfecho.

Na manhã desta terça-feira (12), o prefeito Emanuel Pinheiro voltou a enfatizar que foi traído por alguns correligionários.

Ele ainda ironizou a situação, ao dizer que a agremiação precisa recuperar sua independência, em vez de ficar “subordinada” ao Governo do Estado.  

“O MDB não tem que ser um partido do governador do Estado. Tem que ser um partido popular e do povo cuiabano. Não existe possibilidade de o MDB crescer se continuar se aliando ao Governo e sendo contra o servidor público. Eu não aceito partido sendo contra aos servidores, contra a população cuiabana e que diga amém ao capricho pessoal do governador”, afirmou o prefeito. 

Emanuel ainda afirmou que muitos tentaram se aliar ao governador Mauro Mendes (DEM) para tirá-lo do cenário político.

"Foram fazer média com governador e acabaram perdendo. Com exceção de [Carlos] Bezerra e Romoaldo [Júnior], o partido se uniu para me destruir. A população cuiabana se uniu e nós ganhamos as eleição. Eles se uniram, mas perderam. Essa conversa precisa ter em algum momento. Eu não penso em sair do partido, mas precisa se acertar", completou.

O chefe do Executivo Municipal afirmou que tem o interesse em aparar as arestas políticas com o partido, mas observou que isso só irá acontecer se o advogado Francisco Faiad continuar à frente do diretório da legenda na Capital.  

“Não existe disputa. O presidente é o Faid, ele ganhou as eleições, ele não traiu. Não há a menor possibilidade de se sentar à mesa, se mexeram com o Faiad”, disse o prefeito. 

Desde dezembro passado, a agremiação tem “brigado”, por conta da presidência da agremiação na Capital.

A deputada estadual Janaína Riva (MDB) quer assumir o comando da sigla e os apoiadores de Emanuel não concordam com a medida, tendo em vista que ela não apoiou o seu projeto à reeleição, na disputa em novembro do ano passado. 

A deputada optou por apoiar a candidatura do ex-prefeito Roberto França (Patriota), que ficou em quarto lugar na disputa.

Apesar disso, Emanuel descartou a possibilidade de se desfiliar da legenda.

“Eu não pretendo sair do MDB. É um partido com a mais rica história na política brasileira, na resistência, na luta pela democracia, na resistência à ditadura. É um partido que teve e tem grandes nomes, como Carlos Bezerra, que é a maior biografia hoje no Estado de Mato Grosso”, assinalou.

Carlos Bezerra é o presidente regional do MDB, que liderança a aliança da legenda com o Governo Mauro Mendes. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Qual deve ser a prioridade do 2º mandato do prefeito Emanuel Pinheiro?
Melhorar o transporte coletivo
Tornar a Saúde Pública acessível a todos
Ampliar a Assistência Social
Educação para todos
PARCIAL