NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Terça-feira, 07 de Julho de 2020
Primeira Página
Quinta-feira, 24 de Novembro de 2016, 20h:44

OPERAÇÃO VENTRÍLOQUO

Deputado teria recebido R$ 800 mil

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem
O deputado estadual Romoaldo Junior (PMDB) teria recebido cerca de R$ 800 mil reais do esquema criminoso que desviou quase R$ 10 milhões dos cofres da Assembleia Legislativa por meio de fraude no pagamento de passivos do Parlamento estadual junto com o HSBC. De acordo com o Ministério Público Estadual (MPE), o peemedebista teria se utilizado de três empresas para lavar o dinheiro. Trata-se da FH Comércio de Combustíveis Ltda., Rede Shop Comércio de Combustíveis Ltda. e Rodo Shop Transportes Ltda., todas de propriedade de José Antônio Lopes, também acusado de participar do esquema. A lavagem se deu através da emissão de 12 cheques por parte do então advogado do HSBC e delator da primeira fase da operação, Joaquim Fabio Mielli Camargo. Eles foram depositados nas contas bancárias das três empresas de Antonio Lopes e posteriormente revertido para o parlamentar por meio de doações para campanha eleitoral em 2014. Para os promotores de justiça, a intenção da organização criminosa era dar tom legalidade ao dinheiro repassando para Romoaldo por meio de doação de campanha. No total, o peemedebista teria recebido o montante de R$ 808 mil. Em depoimento ao Gaeco, Antônio Lopes chegou a afirmar que os depósitos eram oriundos de pagamentos efetuados por uma empresa de transportes de combustíveis do município de Paranaíta. O empresário, entretanto, não apresentou documentos que comprovasse o fato. Além disso, foi desmentido pelo proprietário do citado posto de combustíveis, Frank Rogieri de Souza Almeida. “A conclusão inevitável é que se extrai dos elementos de convicção carreados aos autos é uma só: o denunciado José Antônio Lopes ocultou e dissimulou a natureza, origem, localização e movimentação de valores provenientes do crime de peculato perpetrado pelo Deputado Estadual denunciado, Romoaldo”, diz trecho da denúncia. Outro ponto que comprovaria a participação do deputado no esquema é a sua proximidade com Antônio Lopes, a qual foi descoberta por meio de interceptações telefônicas “restando mais do que provado que esta empresa e outras de propriedade do denunciado José Antônio Lopes funcionam como verdadeiras "lavanderias" de recursos do mencionado Deputado Estadual”, assinala. Além de Romoaldo, outros dois parlamentares também foram denunciados pelo MPE. Trata-se de Mauro Savi (PR) e Gilmar Fabris (PSD).

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL