NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Domingo, 12 de Julho de 2020
Primeira Página
Quarta-feira, 02 de Janeiro de 2019, 17h:21

NOVO GOVERNO

Mauro assume criticando descontrole nos gastos

Novo governador assumiu na terça-feira prometendo enfrentar a crise financeira do Estado com medidas duras

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem
Mauro Mendes usou 997 palavras em seu primeiro discurso como governador - após ser empossado na Assembleia Legislativa, no dia 1º -, para lembrar do desafio que será governar Mato Grosso. Mendes disse que durante a campanha eleitoral já tinha avisado sobre os desafios que vai enfrentar, devido a atual situação financeira do Estado, segundo ele causada pelo descontrole nos gastos públicos. “Todos conhecemos a dura realidade do Estado. Não preciso traduzir os números desse governo que termina neste momento. Foi grande a incógnita, grande a interrogação do papel que ele poderia ter cumprido. O governo colecionou números que certamente envergonham todos nós. Salários atrasados, fornecedores há meses sem receber, prefeito sem receber verba obrigatória, principalmente na Saúde, colapso nos hospitais regionais”, disse o novo governador, que em nenhum momento do discurso citou o nome de seu antecessor, Pedro Taques. Para enfrentar a crise, Mauro Mendes avisou que fazer o “dever de casa” e promover profundos cortes nos gastos públicos e, em seu discurso, deu claros sinais que vai chamar o setor do agronegócio – principal motor da economia mato-grossense, que segundo o novo governador teve seu Produto Interno Bruto (PIB) triplicado nos últimos 10 anos – para contribuir mais no aumento das receitas do Estado. “O presidente da Assembleia, Eduardo Botelho, disse agora que não queremos transformar Mato Grosso apenas em um grande produtor de commodities, que são importantes e nos dão orgulho, até em nós que são somos membros do agronegócio. Todos temos que nos orgulhar e reconhecer o que esse setor tem feito ao Estado. Mas certamente vamos fazer alguns bons debates sobre o modelo de tributação que vamos modelar para os próximos anos”, disse. Mendes também avisou que vai rever os incentivos fiscais: “Mas não é justo nos valermos do agronegócio sem falar de outros setores, como também o comércio, a indústria, os programas de incentivo fiscal. Todos vão ser objeto de análise com a ótica do interesse público”. Mendes também dedicou um espaço, em seu discurso, na relação com os demais Poderes: “Aos Poderes, Legislativo, Judiciário, quero dizer que vamos precisar do apoio e compreensão de cada um de vocês. Precisamos reestabelecer o clima de paz e confiança. Não podemos gastar energia aqui dentro quando o principal inimigo do Estado está lá fora, que é a desigualdade, o desserviço público”. Finalizou seu discurso reafirmando “lealdade às nossas leis, a Deus e aos princípios da administração pública para que possamos fazer aquilo que sonhamos e queremos por todos os mato-grossenses”. FAIXA – Após ser empossado na Assembleia Legislativa, Mauro Mendes se deslocou ao Palácio Paiaguás, onde recebeu a faixa do seu antecessor, Pedro Taques. Os dois ex-aliados, que se enfrentaram na eleição de outubro, apenas se cumprimentaram e o evento protocolar não durou nem um minuto. Após receber a faixa, Mendes se deslocou até a Fatec/Senai, no bairro do Porto, onde deu posse ao seu secretariado.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL