NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 11 de Julho de 2020
Primeira Página
Quinta-feira, 03 de Novembro de 2016, 20h:17

Mauro quer dar solução ao problema da CAB

O prefeito Mauro Mendes (PSB) garante que resolve a situação da CAB Cuiabá antes de deixar o comando do Palácio Alencastro. Apesar de estar avançando nas negociações com as instituições financeiras que são credoras da concessionária de saneamento, o socialista não descarta a possibilidade de vir a decretar a caducidade do contrato por quebra de cláusula contratual. “Existe, sim, a possibilidade de caducidade, que é a extinção do contrato por descumprimento de cláusulas contratuais, mas nós estamos negociando alternativas para, se for possível, dar continuidade ao contrato com cláusulas e condições que preservem o interesse público e que recuperem o investimento não-realizado nesses anos pela Galvão Engenharia, que era dona da CAB Ambiental”, revela o prefeito. De acordo com ele, as negociações estão sendo conduzidas com muita cautela, baseando-se, principalmente, na legislação. “Nós estamos conduzindo essas negociações com muita responsabilidade, do ponto de vista técnico e jurídico, para preservar o interesse público”, enfatizou. No entanto, Mendes garante que a o futuro da CAB no município será decidido até 31 de dezembro. “Existe, duas possibilidades: a de manter este contrato com mudanças nas regras e exigências por parte do município ou declarar a caducidade. Nós prorrogamos a intervenção e teremos uma decisão até dezembro”, garante. O socialista afirma que o prefeito eleito Emanuel Pinheiro (PMDB) será colocado a par da situação, já que ele é quem vai assumir o comando do Palácio Alencastro a partir de 1º de janeiro. “Vou informar o próximo prefeito sobre esta situação, mas certamente a decisão será tomada sob força legal e, pelos prazos que estabelece a lei vigente, ainda no nosso mandato”, frisou. Com relação a isso, Pinheiro reconheceu que o socialista tem total autonomia para resolver a situação. “Ele ficou de me explicar melhor a situação, porque o nosso trabalho foi mais técnico administrativo, não deu para ele se aprofundar nesta questão da CAB. Enquanto isso, ele avança nas negociações. Eu também tenho que respeitar que até 31 de dezembro o prefeito chama-se Mauro Mendes. Eu não posso atropelar, eu só pedi para ter ciência”, finalizou.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL